DMAISB – Construções Inteligentes

Blog

3 erros na obra clínica para evitar

Começar uma obra clínica exige uma série de precauções. Além de prever um espaço confortável, agradável e funcional, é necessário atentar-se aos aspectos legais que recaem sobre esse tipo de construção ou reforma.

Há ainda a questão dos prazos, fornecedores, mão de obra, documentação e muitos outros “detalhes” que são cruciais para um resultado eficiente.

Olho clínico

Erros na obra clínica

Hoje vamos destacar 3 erros comuns que tendem a acontecer na obra clínica. É preciso muita atenção, tanto dos profissionais contratados, quanto do cliente, o qual deve se fazer parte do processo, participando ativamente, mas, por outro lado, sem assumir responsabilidades que não são de sua alçada.

Acompanhe!

1. Improvisos sobre o projeto

É bastante frequente que, no decorrer da obra clínica, muitas questões “de última hora” apareçam para ser resolvidas. Uma questão ou outra é natural e não representa grande problema. Já uma sequência de imprevistos denota perigo. Assim, é importante garantir a qualidade do projeto.

No entanto, mesmo quando suas diretrizes são assertivas, muitos contratantes, ou mesmo equipes técnicas, optam por realizar intervenções não planejadas, as quais resultam em medidas improvisadas e preocupantes, uma vez que podem não contemplar os objetivos traçados e ainda comprometer o atendimento às normas e parâmetros obrigatórios.

2. Profissionais não especializados em obra clínica

Dadas as inúmeras especificidades envolvidas nesse tipo de obra, torna-se muito arriscado trabalhar com profissionais pouco experientes na área. Sem uma visão perspicaz e habilidades especializadas, a equipe não é capaz de solucionar situações de emergência, propor novos caminhos ou mesmo executar de modo eficiente os passos contidos no projeto.

Em alguns casos, o próprio profissional da saúde assume o papel de coordenador da obra, o que abre espaço para incontáveis problemas técnicos. Portanto, a melhor saída ainda é contar com um time devidamente capacitado.

3. Ignorar áreas de armazenamento

Uma clínica não é composta apenas pela recepção e salas de atendimento. Contudo, em muitas obras, as áreas de estoque ou armazenamento são deixadas de lado. Essa falta de providência põe em risco a higiene e segurança futuras do estabelecimento, assim como seus equipamentos e produtos utilizados.

Sim, realmente são diversos pontos a serem observados. E aqui nos atentamos a apenas alguns deles. Para saber como a DMAISB pode te ajudar, entre em contato conosco e fique por dentro de nossas soluções para a sua obra!

Compartilhe este post



Comentários (0)

Deixe o seu comentário!